19 de setembro de 2012

He was born!


Nossa Cáren! Dois posts em um dia?! Pois é, quando muito ou quando pouco... Faz parte.

Na verdade esta é apenas uma notinha para informar que MEU BABY BOY NASCEU!

Sim queridas, eu era uma Au Pair sem host kid! Eu tinha host dad, host mom, 3 HOsT dogs e nenhuma host kid! Hehe

Estou aqui para compartilhar com vocês a minha felicidade!!!

Meu baby boy nasceu ontem pela manhã, conforme o esperado! Ainda não sei se foi parto normal ou cesárea. Minha hosta é médica e queria muito natural birth. Tomara que ela tenha conseguido ;-) .

Ele nasceu com 8 lbs (3,6 kg). Absurdamente grandão, gordinho, perfeitinho, saudável, lindo! Tem um narizinho que eu nunca vi igual. Um fofo!

Fonte: Google


Como eu ainda não solicitei autorização para a family, não postarei a foto linda que a hosta me mandou ontem à tarde. Mas eu posso garantir pra vocês que ele será o baby boy mais amado, acariciado, mimado, apertado, mordido, strucado pela Au Pair coruja e babona aqui!

Estou muitooooooo feliz. Agora tudo parece mais real. A vida/pessoinha pela qual eu serei responsável no próximo ano está aqui, me esperando... Ahhh eu morro!

Little Baby S.,
I just can’t wait to meet you, and hold you in my arms! Your Au Pair already loves you. Just wait for me, I’m coming. I promise you I will make you the happiest child in all over the world.

With love, your Au Pair 

Pré visto


Gatíssimas, gatíssimas!! #jeisofeelings só quem é Gaúcho ou “Catarina” vai entender

Eu estou bem, obrigada! Quer dizer, agora está começando a cair a ficha. Daqui a 50 dias estou indo embora... Nem quero imaginar todo o mimimi e chororô que vai ser.

Enfim, muita coisa tem acontecido e estou vivendo um verdadeiro carrossel de emoções. Altos e baixos, altos e baixos. Tem dias que acordo me sentindo Chayene, tem dias que acordo me sentindo Socorro. Vai saber...

Primeiro tenho que compartilhar minha felicidade e comunicar que minha Best Juh Laiber teve seu visto aprovado ontem em Recife. Ela será AP em Aurora, IL, subúrbio de Chicago. Ahhhh orei tanto para que ela conseguisse e graças a Deus, deu tudo certo. - Ami, me espera que irei te visitar!

MAS E O SEU VISTO DONA CÁREN?!

Finalmente marquei o meu! Já posso pedir ondinhas de amor a todas vocês? Marquei meu visto no Rio, para os dias 04 e 05 de outubro. Posso dizer que estou bem confiante nEle. Tudo deu tãooo certo até aqui que vai dar com o visto também. Mas devo confessar que eu estou muito empolgada com a minha viagem para o Rio não pelo visto, mas sim porque meu nego lindo irá junto comigo. Serão 6 dias e 5 noites de muita romance, meu bem!

Vai ser lindo! Visitar o Cristo, o Pão de Açúcar, Corcovado, Lapa, Ipanema, Copacabana, Lagoa Rodrigo de Freitas, Arpoador, etc com meu Boy, isso não tem preço. Aliás, não tem preço mesmo, já que ganhei a viagem como presente de formatura do meu pai e da minha madrasta. Obrigada Beto e Xú! Amo vocês!
O que eu posso falar sobre o processo do visto?! É MUITOOOO FÁCIL!

Não achei nada complicado preencher o DS 160 não. Não é nenhum bixo-de-sete-cabeças. É só entrar nesse site aqui e ir seguindo as instruções. Depois de preencher e assinar eletronicamente o DS (lembre-se de imprimir o comprovante de preenchimento), você entra nesse site aqui, faz um cadastro com seus dados e escolhe o meio de pagamento da taxa MRV (US$ 160,00 ou R$ 336,00 - cartão ou boleto).

Depois de o pagamento ser apurado (pode levar dois dias se for com boleto) você volta nesse mesmo site, informa o código do boleto que você pagou e então você tem acesso ao calendário de datas para marcar a entrevista. Em São Paulo o calendário de agendamentos já está disponível até o final do ano. No Rio as datas são liberadas aos poucos, atualmente está disponível até o dia 31 de outubro.

Cada agência (CC, APC, APIA, etc) dá às meninas instruções diferentes quanto ao preenchimento do DS 160. Basicamente você irá utilizar as informações que constam no seu DS 2019, que a agência dos USA envia assim que você faz o match. É moleza!

Algumas meninas preferem contratar um despachante para que ele providencie toda essa parte burocrática. Particularmente, eu acho besteira. Acho que todas nós conseguimos tranquilamente fazer by ourselves, e que este é um dinheiro POSTO NO LIXO. Guarde estas 200 Dilmas e vá gastar em Nova York menina!
Esse vídeo, feito pela Embaixada Americana no Brasil, demonstra todo o processo de preenchimento do DS 160 e agendamento de entrevista já na nova versão. Achei muito útil!  #ficaadika




Outra dica valiosa: NÃO TENHAM MEDO DE ERRAR O PREENCHIMENTO DO DS 160. VOCÊ PODE PREENCHER QUANTOS PRECISAR! Sim gatíssimas, eu mesma preenchi e assinei TRÊS DSs. Tive que trocar duas vezes de sponsor e, consequentemente, de formulários. Só não vai errar de propósito né gata!?

O procedimento é o mesmo, entra no site, preenche tudo, assina eletronicamente e transmite para a embaixada. Imprime o comprovante E LIGA PARA O CASV MAIS PRÓXIMO.

Você só precisa ligar no CASV e informar o novo número do seu DS 160. No mesmo instante eles alteram esse código no seu comprovante de agendamento de entrevista e enviam para o seu email um novo comprovante (agendamento da entrevista) para levar ao consulado.

Embora só existam 6 CASVs que recolhem os dados para o visto (digitais e fotos); dois em SP, RJ, Recife, Brasília e Belo Horizonte; TODAS AS CAPITAIS possuem serviço telefônico para atendimento ao solicitante do visto. Clica aqui para conferir os telefones!

Também acho importante lembrar que o pagamento da taxa MRV, que agora é única, é muito facilitado. Você pode pagar através de cartão de crédito - no próprio site ou por telefone, ou então por boleto bancário. O boleto você pode pagar em QUALQUER BANCO, LOTÉRICA, TENDINHA, FARMÁCIA, MERCADO OU PADARIA que aceite pagamento de contas com código de barras. No sistema antigo o pagamento era apenas no Citibank, o que podia complicar a vida de muitas meninas, inclusive a minha. Eu mesma paguei o meu em uma lotérica. #ficaadika2

That’s all folks!

E já podem ir emanando ondinhas de amor pra mim! =)
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

29 de agosto de 2012

Este não é só mais um blog de Au Pair...


Oi queridas! Tudo bem com vocês? Prometi para mim mesma que jamais ficaria tanto tempo sem postar novamente... Cá estou, buscando no fundo do baú alguma inspiração para escrever...

Não é todo dia que as palavras fluem com facilidade, porém, hoje vamos dizer que o dia é inspirador, pelo menos para mim. Sim, senhoras e senhores, hoje completo mais um aninho de vida! Cheguei a casa dos Vinte e QUATRO. Ó céus. Estou me sentindo velha. Deve ser aquela famosa crise dos vinte e poucos anos. Fase em que começamos a nos questionar o que fizemos da nossa vida até aqui, o quanto valeu à pena. Afinal já se passou mais de ¼ de vida! Agora a sociedade ri da nossa cara e começa a esfregar na fussa que está na hora de comprar um apartamento, está na hora de casar, pensar em procriar, pensar na aposentadoria.



Como assim você não paga INSS??? Ahhh, está pensando em previdência privada!!! Entendi...

Bom, falando em aniversário... hoje fiquei pensando como é estranho/diferente completar mais um ano de vida na era do Facebook. Eu ainda não sei quantas felicitações eu recebi no meu perfil, pois não tenho internet em casa (sim, é possível sobreviver com essa condição, acredite), mas mais do que isso... me questiono qual é a verdade nesses cumprimentos. Quantas dessas pessoas teriam lembrado, ou sequer saberiam que hoje é o MEU DIA!?

Na era do Facebook, meu celular tocou apenas 5 vezes hoje. Quem me ligou? Pai, mãe, madrasta e duas amigas-irmãs.  O nego não está nesta lista porque lindo que é, me desejou feliz aniversário exatamente à meia-noite, hora do “dia” que costumamos nos falar. Um fofo, eu sei!

Fico triste ao constatar que as relações se tornaram tão superficiais. Sério gente, é triste. Cadê o calor humano? Hoje, vizinhos só se falam pelo Face, irmãos só se mandam SMS... Acho que aqui cabe aquela máxima que diz “Internet: aproximando quem está longe e afastando quem está perto”. #fataço

Seria muito injusta se dissesse que recebi apenas recados superficiais. Claro que não. Recebi lá recados extremamente carinhosos, repletos de sentimentos, repletos de saudade. Já disse que responderei um a um, com toda a atenção que cada um merece, com muito prazer.

Gente, só queria dizer pra vocês que eu tive o final de semana mais incrível que um ser humano pode imaginar. Ainda na sexta viajei para ver meu nego em Imbé (uma cidade no litoral aqui do RS). De carro a viagem é tranqüila, leva duas horas e meia... Como sou pobre e curto uma farofa eu fui de busão né, só que aí, a viagem demora 4 ou 5 horas.

Pensem o pânico... Na sexta saí correndo do escritório para pegar o busão até Porto Alegre. Saímos pontualmente às 18h10. A chegada era prevista para 20h10. Um tempo razoável para uma viagem de 160km. Eis que, para meu desespero pegamos um congestionamento horrível em Canoas (região metropolitana) e eu acabei chegando em Porto exatamente 20h58, sendo que as 21hs partiria meu segundo ônibus, desta vez para o destino final. Gente, vocês jamais conseguirão imaginar o pânico. Este busão das 21hs era o último para o litoral. Eu corria o risco de ter que dormir em Poa. Mas onde??? A pobretona ia ficar na rodoviária mesmo...

Rodoviária de Porto Alegre

Masssssssssss Deus é muito criativo né... sempre resolve. Quando chegamos próximo da rodoviária já fui até a cabine do motorista e dei a louca, largando uma de Drama Queen pra ele. Ele todo querido e prestativo correu logo para pegar minha mala no bagageiro e depois foi descer os outros passageiros. 

Não adianta, eu curto mesmo uma colonagem. Peguei minha mala no braço e fui literalmente correndo garantir a passagem da segunda etapa da viagem (só de ida...), e só tinha como viajar de pé. O busão estava lotado. Cheguei na plataforma de embarque quando o motorista estava fechando o maleiro. Ahhhhhhhh que maravilha. Eu havia conseguido. (Obrigada Senhor por ouvir minhas preces!)

 Sorte ou não, acabei conseguindo sentar no lugar reservado aos deficientes/grávidas/idosos. Claro que me certifiquei antes se alguém iria precisar deste lugar. Eu tenho bom censo gente.

Quando deu 23h40 avistei meu Nego lindo me esperando na rodoviária. Que feliz, que feliz!!!!!! Cada dia de saudade valeu à pena. Aqueles foram os melhores abraços e beijos que já nos damos na vida. Um abraço de saudade/reencontro/amor/carinho um beijo terno, afetuoso, caliente... Tudo junto e misturado. Uma loucura. Uma delícia.

Dormir de conchinha é definitivamente a melhor coisa do mundo. Esses dois dias e duas noites foram perfeitos. Assim que cheguei fomos à beira-mar comer crepe (aqui se fala creps mesmo) de siri e camarão que eu adoro. Ficamos ali vendo o mar, a Lua prateada refletida na linha d’água, a brisa gelada, os navios petroleiros ancorados, com suas luzes dançantes e um pescador solitário... tudo tãooooooo romântico. Nem podia acreditar que eu estava ali. Que era verdade...


Imbé

Sábado foi outro dia que merecia virar letra de música, pintura na tela, foto novela.  Acordamos tarde, preparamos almoço e depois fomos até o empreendimento da família ajudar a mãe dele. Ganhei um bolo de aniversário da minha sogra que estava uma delícia. Saímos para escolher um na padaria de Tramandaí. Escolhi de morangos, nata e brigadeiro Fiesta. DIVINO!

Em seguida fomos para casa aproveitar a companhia um do outro. Ficamos no sofá ouvindo Queens, degustando um Merlot em frente à lareira. Coisa de novela mesmo. Tudo muitooo perfeito. Decidimos que jantaríamos mais tarde para comemorar meu aniversário. Mal sabia ele que eu estava tendo o melhor aniversário da minha vida desde que eu cheguei lá.

Escolhemos comer panqueca em um restaurante bem charmosinho à beira-mar... mais uma vez me senti no céu. Era tudo muito perfeito... Música ao vivo, meia luz, e lá fora um jardim lindo que brilhava debaixo de uma fina camada de chuva. Na frente, o mar e aquela Lua mais linda ainda.



Assim que chegamos em casa e nos deparamos com a lareira acesa, decidimos que ali passaríamos a noite. Aquecidos pelo fogo envolvente que mais parecia um casal de bailarinos em uma moldura de tijolos. Arrumamos nosso ninho em frente ao fogo e nos concentramos em ouvir nossa respiração e o estalar das brasas vermelhas. Que sonho!!!! Alí senti a plenitude. Eu poderia partir para o céu naquela hora. Eu estava repleta de vida naquele momento. Com minha fé no nosso relacionamento renovada. Com a certeza de que vamos sobreviver à distancia e ao tempo.

Acordar no domingo foi uma delícia. Os dois cheios de manha... trocando carinhos. Ali eu ganhei uns 300 beijinhos. Um mais delicinha que o outro. Meu melhor presente de aniversário... Mais tarde, a sogra caprichou no almoço, e depois de comer um prato muito delicioso chamado “Vai sabê”, cujo eu nem ousei perguntar o que era, cortei fatias do meu presente de aniver,. a torta super-ultradelicia.

Por falar em presentes, ainda na sexta à noite ganhei do meu nego o que ele chamou de “um dos presentes”. Era uma caixinha branca, muito simples. Sem laços ou fitas. Dentro o presente mais lindo de todos. Uma caneca de cerâmica com uma foto nossa impressa. Gente, eu chorei. Eu jamaissssssssss imaginei que ele fosse capaz de fazer isso. Ele é muito prático. Não dá bola para formalidades. Jamais pensei que ele pudesse pensar em um presente tão cheio de sentimento como esse... Que demandasse de tempo e espera para ficar pronto. Eu nem consigo imaginar qual será o outro presente. Ahhh se ele soubesse o quanto já me sinto satisfeita...

Bueno... depois do almoço e da preguiça que vem depois do almoço, que até nos exigiu uma soneca no sofá, fomos à um barzinho assistir ao jogo o Imortal. Mas não era qualquer jogo. Era Gre-nal! Quem ganhou?? Quem??? Meu tricolor, claro! Eu não queria nem pensar na despedida que estava se aproximando. Dezoito horas era o nosso prazo final. Fiquei ali, agarrada no braço dele, torcendo para que o relógio andasse para trás.

Fomos até a rodoviária e eu já chorava como uma criança. Estava feliz pelos momentos incríveis que passamos juntos, mas triste por ter que partir. Coloquei a mala no ônibus, nos abraçamos mais uma vez e embarquei. Da viagem de duas horas até Porto Alegre, uma delas passei chorando e agradecendo à Deus pelo presente que Ele havia me dado.

Cheguei em casa à meia noite. Meia noite e quinze ainda estávamos pendurados no celular, eu contado da viagem e ele escutando solícito entre um bocejo e outro.

Só posso dizer que eu faria tudo de novo agora. Cada minuto dentro de cada ônibus valeu a pena. Me sinto cada dia mais fortalecida, mais forte pra enfrentar essa barra de estar tão longe dele. Mas ao mesmo tempo sinto uma urgência, uma necessidade de aproveitar com ele cada minuto que eu puder até a minha viagem. Agora faltam menos de dois meses e meio. E pensar que no meu próximo aniversário eu estarei a 10 mil milhas de distância já dói.


Chego aos 24 anos completamente realizada com a minha vida. Feliz com as mudanças que estão por vir. Sinto como se estivesse entrando em férias após tantos anos de trabalho ininterrupto e estudos maçantes. Absolutamente satisfeita com o rumo que estou dando à minha vida. Grata a Deus pelos dois presentes maravilhosos que ele poderia me dar, e ao mesmo tempo: Uma experiência internacional e ter comigo, ao meu lado a pessoa mais fantástica que eu já conheci, meu nego. Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh o que faz o amor não é mesmo?! Que torpor é esse? Estou tão baboba/bobona...

Deixei de pensar que tenho que fazer uma escolha. Que tenho que optar por uma coisa ou outra. Ter o amor da minha vida comigo ou ter essa experiência de vida fora do país. Eu escolho os dois. Eu quero os dois. Uma coisa completa a outra e juntas me completam. Logo de cara meu relacionamento passará por uma prova de fogo e passará ileso e lindo por ela. Tenho tanta fé nisso que nem eu sei de onde vem. Aliás, eu sei sim. Vem dEle.

E agora vocês devem estar se perguntando o seguinte?! Esse aqui não era um blog de Au Pair? Que ia nos ajudar a fazer host letter, vídeo para APP, tutorial para visto e etc? Sim, você está certa. Ele era. Agora ele é só o meu “diário”. Sobre application e afins você encontra um milhão de outros blogs e sites. Temos também os grupos do Facebook. Aqui você vai encontrar a MINHA história. A minha trajetória, coisas ligadas ou não ao programa. 

O objetivo desse blog passou a ser relatar e organizar cronologicamente a minha vida nos EUA e o que vier antes e depois dela. Minha família irá acompanhar minha viagem por aqui. Meus amigos também.

É claro que jamais me importarei em responder qualquer dúvida que possa surgir, sobre qualquer parte do processo. Também estou aqui para isso. Mas agora, esse é exclusivamente o meu diário e compartilharei aqui o que eu achar conveniente, como esse meu super-power-ultra-master-supra final de semana, por exemplo.

Sugiro que vocês acompanhem também O Blog das 30 Au Pairs. Lá você encontra praticamente um manual de instruções sobre o programa. Eu sou uma das colaboradoras do blog e escrevo lá todos os dias 27 de cada mês. Adoraria ter a companhia de vocês lá também.




  
Se eu estou nessa crise dos vinte e poucos? Devo estar. Disse não a uma proposta de emprego dos sonhos em um hospital para ser Au Pair. Só pode haver muita insanidade nisso. Mas e daí?! Eu nunca disse que sou normal!



18 de agosto de 2012

Meu nego, um colchão e um pacote de bolachas


Acabo de descobrir que é só disso que eu preciso para ser feliz. Como eu contei no post passado, meu negrinho teve que se mudar para cuidar dos negócios da família. Esvaziamos nosso apartamento, mas ainda havia muita coisa para ser feita.  Lá dentro havia ainda muitas coisas para serem transportadas, limpas, colocadas no lixo... 

Depois de me despedir do negrinho dia 4 de agosto, achei que levaria muito tempo para nos vermos novamente. Felizmente eu estava enganada. Logo na quinta feira, dia 9, ele voltou para a minha cidade com o intuito de pintarmos todo o apartamento.

Ele chegou aqui já passava da uma da manhã, mesmo assim ele foi me buscar na casa da minha chefe. Peguei algumas cobertas, meu travesseiro e minha TV e fomos para o nosso apartamento. Vazio.
Uma e meia da manhã estávamos os dois pedalando um colchão de ar, onde passaríamos as próximas 5 noites.  

É incrível como o tempo ganha outro ritmo quando estou com ele. Não vejo as horas passarem...  Tudo ganha outra dimensão, fica mais colorido, mais bonito.

Os dias seguintes foram incríveis. Cada café da manhã, almoço ou jantar compartilhado com ele, mesmo sendo uma quentinha, tornaram-se banquetes. Cada minuto de bobeira após o almoço, sentados em qualquer banco de qualquer praça tomam proporção de um baile imperial romano. Cada carinho recebido, cada afago nos cabelos, cada cócega, cada brincadeira, piada, cada conversa ou oração fazem eu me sentir extremamente amada e feliz.  

Pintamos o apartamento, mas devo confessar que foi tão difícil quanto foi maravilhoso. Fui contaminada pela nostalgia. Cada segundo que passei lá dentro veio recheado de boas recordações. Eu fui incrivelmente feliz naquele lugar. Quem dera se eu pudesse voltar no tempo... =(

E eu não consigo não me perder nesse sorriso | A saudade já não cabe em mim
 Esse é o nosso acampamento dentro do apartamento. A cara de cansados revela o trabalho pesado da semana
Eu faria tudo de novo!


Essa semaninha que passamos juntos também foi muito importante porque juntos, decidimos dar um novo caminho à nossa relação. Juntos a entregamos para Deus. Enfim, estou feliz e sinto que estamos ainda melhor do que antes... Escolhemos e queremos viver debaixo da Graça dEle, mesmo que isso nos exija alguns sacrifícios. ;)

Estes momentos me deram a certeza de que não importam as circunstancias da vida, não importa o tamanho das dificuldades, tudo se torna incrivelmente perfeito quando estamos juntos. Eu o amo tanto! Aposto que só Deus pra saber o tamanho deste sentimento...

Eu não tenho dúvida alguma que é com ele com quem eu quero passar o resto da minha vida. Quero ter meus filhos, netos e bisnetos... Tudo o que eu mais desejo agora é que essa viagem de alguma forma fortaleça ainda mais o nosso relacionamento. Que nos faça mais maduros, mais preparados para enfrentar as dificuldades que uma vida à dois pode apresentar. E que esse sentimento maravilhoso se edifique, crie raízes, frutos e sementes. Muitas sementes.

Tenho certeza de que Deus escreveu uma história linda para as nossas vidas. E o que me deixa mais feliz é que estamos ainda no primeiro capítulo de uma história que continuará a ser escrita até a eternidade.

Porque delícia mesmo é degustar uma garrafa de vinho italiano em copos descartáveis na companhia de quem você ama. Isso sim, não tem preço.

Meu nego, um colchão e um pacote de bolachas é tudo o que eu preciso para ser feliz.


7 de agosto de 2012

Eu sumi... mas voltei!


Meu último post foi dia 27 de junho. Inadmissível. Então não adianta nada eu pedir perdão pra vocês. Eu sumi. Mas não foi um sumiço voluntário. Muita, absolutamente muita coisa aconteceu na minha vida de lá pra cá.

Como eu me sinto no momento? Confusa.

Tenho passado por um período de mudanças muito significativas na minha vida. Algumas muito boas e outras muito ruins. Porém, todas necessárias.

Nesse mês e meio de ausência, eu terminei o estágio da faculdade, apresentei relatórios, me formei, me converti, meu negrinho foi morar longe de mim, mudei de casa... Enfim, muitas coisas...

Agora sou oficialmente nutricionista.  No dia 27 de julho colei grau e já dei entrada no meu registro profissional. Agora é só aguardar o OK do CRN para começar a trabalhar. #felicidadequenaocabe

Posso dizer que essa foi a mudança mais gostosa/feliz que eu passei nesse período. Não pude fazer uma festooona e nem colação solene. Fiz formatura de gabinete e comemorei com minha família e amigos em uma pizzaria. Posso ser sincera? Foi perfeito igual. Toda a minha família esteve presente e também os amigos mais queridos. Mas não pensem que foram apenas 10 ou 12 pessoas se empanturrar de pizza. Nós éramos em 47!!!! Nem preciso dizer que fiquei muitooooooo feliz!

Nutricionista!

Não ganhei muitos presentes, mas aqueles que eu ganhei foram incríveis!! Entre eles uma viagem de 6 dias para o Rio (para tirar o visto e turistar), um anel de brilhantes LINDO, um book de formatura, flores, cartões, porta cartões, um brinco fofo, um álbum com fotografias da minha cidade, um filtro dos sonhos e o mais lindo e significativo de todos: um brinco lindoooo de morrer de cristais e pedras que meu Nego lindo deu. Enfim...



Me converti. Quem me conhecIA sabia que isso era inimaginável. E tudo o que eu posso dizer é que eu sinto e sei que foi o passo mais importante que eu dei na minha vida. Por insistência do meu Nego passei a freqüentar um grupo de jovens na igreja que ele freqüenta(va) aqui na minha cidade. Confesso que no começo fui muito resistente. POR PURA IGNORÂNCIA. Nunca me senti tão bem acolhida e querida quanto naquele lugar. Passei a ir todos os sábados no grupo de jovens e aos domingos na celebração. Essa nova rotina me fez tão bem, tão bem, que sinto muitaaaa falta quando por um motivo ou outro não consigo ir. Sempre tive uma fé muito viva dentro de mim, mas eu era sozinha com a minha fé. Eu e Deus. Agora, somos eu, Deus e mais dezenas de pessoas que compartilham comigo um jeito de ser e crer todinho especial. Ainda não me batizei. “Oficialmente”, continuo sendo católica, mas já entreguei minha vida e meu coração pra Deus e pro filho dEle. E querem saber?! Estou muito feliz com isso, obrigada!
(um obrigada especial ao meu Nego; pela insistência e por nunca desacreditar de mim)

A novidade ruim: Meu nego mudou de cidade. Eu e ele moramos juntos por oito lindos meses. Desde dezembro do ano passado até o domingo passado. Posso dizer que foram os oito meses mais repletos de felicidade e vida de TODA a minha vida. Por motivos profissionais ele teve que mudar. Foi morar há 3hs de distância de mim. Não é muito, mas para quem estava acostumado a dormir e acordar junto todos os dias, isso faz uma diferença tremenda. Essa foi uma mudança que eu não escolheria, mas aconteceu, e Deus sabe muito bem o que faz. Ele agora mora com a mãe e a irmã, está cuidando dos negócios da família. Acredito que isso irá fazer bem para nós, como casal. Daqui três meses eu estou indo pros States e ele ficaria aqui sozinho, lá ele tem a família dele. Isso vai tornar essa “separação” mais tranqüila. Mais fácil, principalmente para ele. O que eu posso dizer agora é que está doendo. Dói. Muito. (Mas o mais importante é que continuamos firmes e fortes (to tentando não chorar mais), e que assim seja até eu voltar de Denver, pra ficar com ele o resto da vida)

Meu negrinho e eu, na minha primeira visita ao Estádio Olímpico. (Amor, eu ameiiiiiii! Obrigada!)


Com essa mudança dele, eu voltei a morar na casa da minha chefe. Ela é um anjo na minha vida. Tenho muito o que agradecer à ela. Essa é a minha segunda temporada aqui nesta casa. Morei aqui por quatro meses, durante os estágios da faculdade, antes de ir morar com meu Negrinho. Vou ficar aqui até começo de novembro, que é quando viajo.

Porque confusa? Por que todos os dias e no mínimo umas oito vezes por dia eu me questiono o quanto eu ainda quero ser uma Au Pair. Esse foi sim meu sonho por muitos anos. Desde 2008 que eu desejo com isso, e agora, que está prestes a acontecer, eu me questiono se ainda é um sonho ou uma rota de fuga que eu tracei num momento de angústia e desespero.

Como diz minha mãe: “Só se vai à Disney com 15 anos uma vez na vida”. Talvez ser Au Pair tenha sido meu sonho no passado, aos 18 ou 20 anos. Hoje, aos 24, se alguém perguntar qual é meu sonho eu vou dizer que é ter a minha casinha, meu maridinho (o Nego, claro), meus filhotes e um bom trabalho. Ou seja, ter uma vida pacata, segura e repleta de amor... (Esperem! Não me julguem ou condenem... Cada uma sabe de si e tem para sua vida o sonho que quiser. O meu é esse e ponto!)

Se eu ainda vou ser Au Pair? Vou. Mas vou para lá orando muito para que o tempo voe, e que tudo o que(m) eu mais amo esteja aqui me esperando, e que estejam exatamente iguais ou melhores ao dia em que parti. Serei Au Pair em respeito à mim mesma e a todas as pessoas que confiaram na minha palavra e no meu (ex)maior desejo. Serei Au Pair pensando no futuro do meu relacionamento. Serei, porque eu sei que um bom salário depende de um bom inglês (ou não). Serei, porque eu já investi muito dinheiro e principalmente tempo nisso.

Então eu reitero, estou confusa sim! Eu espero que valha à pena. Porque tudo o que eu tenho aqui é muito para se correr o risco de perder. Sou daquelas que não troca uma vida por uma aventura. Espero do fundo do meu coração não me arrepender.

E O QUE EU TENHO FEITO NO MEU PROCESSO DE AU PAIR? Nada. Absolutamente nada. Decidi esperar esse turbilhão de acontecimentos passar para voltar a pensar nisso e no blog.
Os próximos passos são: Começar o PDP da APC, que deve ser um saco. Fazer uma procuração de plenos poderes para o meu pai. Ir no oftalmologista, gineco, dentista e qualquer outro ista. Preencher o DS e agendar o visto. Preparar a minha viagem mais linda de todas pro Rio, já que meu Nego irá comigo. Sabe-se lá mais o que...

NOVIDADES? Além de todas as que eu já escrevi acima, tem mais uma. Todos os dias 24 de cada mês escreverei no blog “O blog das 30 au pairs”.

Então gente, era isso. Esse post foi mais um “desabafo” do que qualquer coisa ligada ao programa. Tô pedindo à Deus coragem, porque vou lhes dizer, tá Phoda.
Beijos. 

27 de junho de 2012

I must...

I must’s in Denver!

Impressionante como toda Au Pair adora uma lista.

Lista do que irá sentir falta, do que não sentir falta, lista de itens para mala, lista de custos, lista de blogs, lista, lista, lista...

Claro que eu também tenho as minhas! E eu ADORO um MUST TO… Must see, must do, must visit, must know. #Adoro!

Como eu já disse umas 3242141 vezes, irei morar em Denver, capital do Colorado. Confesso que eu ainda não pesquisei MUITO sobre o que a região tem a oferecer. Então vou fazer minha lista baseada no que eu quero fazer durante todo o meu ano nos USA.

Here we GO!

I MUST:
- Pular de pára-quedas (meu sonho desde criança e está no top do top da minha lista. É a primeira coisa que eu quero fazer assim que chegar lá)
- Esquiar em Aspen (vou morar a 40 minutos de lá. Tá fácil!)
- A new tattoo (já tenho 3. Quero uma made in USA. Quero gravar na minha pele algo que remeta minha lembrança à tudo que eu vivi lá)
- Conhecer os cassinos e hotéis de Vegas (com minhas amis do coração, Juh e Carol, claro)
- Sentar na grama do Central Park e morgar (tirar os tênis, dar comidinha pros pombos, ler um livro. Qualquer coisa assim)
- Atravessar à pé a ponte de San Francisco
- Fazer aquela pose clássica sentada na rocha do Grand Canyon
- Sair andando por aí segurando um daqueles copos de café “super americanos” (de preferência Starbucks)
- Experimentar bacon no café da manhã (detesto bacon, mas se é pra experimentar de tudo ao modo à La americana, tem isso também né!?)
- Snow angels and snow war, of course!
- Ir pra Miami – com um bikini brasileiro, por favor – e esticar minha canga na areia (minha canga com a bandeira do MEU ESTADO, claro)
- Andar de Limo (em Vegas, de preferência)
- Achar um esquilo no quintal
- Fazer muitas road trips, com minhas Amis, cantando qualquer coisa que eu não entenda,  bem ao estilo Runaways
- Ir pra Vancouver (só pra trollar!)
- Começar aulas na gym pra manter/melhorar a forma (ok. Não engordar já está ótimo!)
- Conhecer a Mariana Brandão em Boulder e aprender a montar à cavalo
- Ir pra Disney (nem quero muito, é só pra não me arrepender mesmo)
- Ir a um concert do Coldplay! (isso, eu me mato se não fizer!)
- Comprar muitos eletrônicos que eu jamais poderia comprar aqui
- Comprar roupas dignas de uma nutricionista, que eu jamais poderia comprar aqui também... (só tenho tênis e jeans!)
- Viajar muito! Isso inclui ¼ dos estados americanos, Bahamas e Europa
- Fazer fotos na Times Square
- Ir pra Napa Valey, na Califórnia
- Passar em diversos cenários de filmes em LA
- Passar minhas férias em uma Eurotrip cazamiga Juh e Carol (curtindo nosso roteiro previamente elaborado)
- Visitar todas e quaisquer outlets que eu encontrar por aí
- Passar o Natal vendo a neve pela janela
- Fazer muitos cursos ligados à saúde e nutrição
- Fazer qualquer cursinho em Harvard (Harvard é Harvard!)
- Melhorar 100000% meu inglês
- Patinar em um lago congelado


Coldplay Concert!

Harvard

Skydiving

Times Square


E, se mesmo depois de um ano, eu não conseguir fazer metade, ou até mesmo nada disso... Tudo terá valido à pena se eu conseguir conhecer Juh e Carol em qualquer canto daquele país.

Essas duas são tão, mas tãooo especiais pra mim, que receberão um post só pra elas, contando a nossa linda história de amor/amizade à primeira vista!

PS. Adoro uma lista porque é superfácil de escrever pra atualizar o blog!
A intenção é voltar a esta lista e dar um check nos itens que eu já tiver cumprido e ir acrescentando novos itens, de acordo com o que eu achar interessante fazer lá!

Um quebra-costela pra vocês!

26 de junho de 2012

I have my match!


Matching...

Falei pra vocês no post anterior que meu processo andou SUPER rápido, pelo menos eu acho. Depois de 15 dias do submit eu estava online (minha agente me disse que isso poderia levar de 45 a 60 dias) e depois de mais 10, eu tinha meu match. E este post é sobre o meu MATCH.

Entre os blogs e posts no FB, a frase “I HAVE MY MATCH” é sem dúvida a mais importante de todas! Claro que postar “TÔ ON” e “I GOY MY VISA” é tão importante quanto.

Quando ficamos online, nos tornamos disponíveis para as famílias, através do portal da agência. Nessa etapa a maior preocupação de todas as meninas é: “estou on há XXX dias e nada de contato”. É fato que, para algumas meninas demora um pouco mais e outras têm o match em dias ou semanas. Já vi meninas no grupo do FB que tiveram match após 9 meses online. Eu acho que é sorte mesmo.

É CLARO que ter um bom APP, com fotos bacanas, muitas horas de experiência, saber nadar, ser boa motorista, não ter restrições no seu perfil (ex: morar com pets, com single parents...) ajuda. Mas eu acho que não é só isso. Sempre que eu olhava o site da APC para “conhecer” o perfil das APs disponíveis – leia-se concorrentes – eu via perfis muito melhores que o meu, e mesmo assim tive o match rapidinho.

No dia que fiquei online, dia 11 de abril, duas famílias entraram no meu perfil. Nem preciso dizer que eu quase MORRI de alegria né?!  Fui ler os perfis e ví que as famílias eram bem parecidas.  As duas famílias tinham 3 kids, sendo uma das kids bebê. Uma delas morava na Califa (meu sonho!!) e outra morava pertinho de Seatlle (meu ex-sonho).

Devo confessar que o fato de ser 3 kids me deixou muito insegura, ainda mais sendo tão, tão pequenas.  No dia seguinte troquei email com as duas e marcamos skype. Marquei skype para o sábado com a família da CA e no domingo com a família de WA.

Sábado, dia 13, às 14hs, como combinado, estava em frente ao PC e a hosta chamou no Skype. Gelei. Tinha comigo uma lista de perguntas, todas aquelas que vimos em blogs e no grupo do FB pra fazer pra ela. Ela estava com o baby no colo. Um fofo. A conversa fluiu bem, falamos por 50 minutos sobre as kids, sobre o trabalho, o local onde ela mora, enfim... coisas assim. Combinamos que enviaríamos emails com questões uma para a outra durante a semana. Ela me disse que falaria com o marido, caso ele também tivesse alguma dúvida e desligamos.

Oakland | CA

Oakland | CA


No domingo, 15, às 13hs tive o Skype com a família de Seattle área e falamos por certa de 40 minutos. Neste Skype estava a hosta e o hosto. Aí eu tive a comprovação que feeling existe sim. Naquele dia eu senti uma enorme conexão com eles. Parecia que já nos conhecíamos há anos... Rimos bastante e eles não paravam de fazer piada...  Também falamos bastante sobre o trabalho, claro. Eles me fizeram algumas perguntas, eu também fiz e de quebra já me apresentaram o quarto da Au Pair e as duas kids (e ela ainda estava grávida). Eram uns queridos...  De cara conquistaram meu coração. A família da Califa já não parecia tão interessante.

Indianola | WA

Indianola | WA


Depois dos Skypes, passei a semana seguinte trocando diversos emails com as duas famílias, principalmente com a família se WA. A família da CA sumiu por alguns dias, até pensei que eles haviam perdido o interesse, mas depois soube que o menino do meio havia se machucado e havia ido ao hospital.

Durante a troca de emails, a família de WA ia conquistando mais e mais o meu coração. A hosta é uma fofa. Mandei diversas questões pra ela e ela respondeu todas completíssimas e sempre preocupada em me mostrar o porque eles eram uma ótima família. E eles eram. Não tinha dúvidas quanto a isso.

Virginiana que sou, tenho que achar defeito, em tudo. Os hostos eram perfeitos e fora o fato de serem 3 kids, o que realmente me fez pensar muito sobre essa família era o local onde eles moram. Indianola fica em uma ilha, a uma hora de Seattle. A cidade é muito pequena, são 3 mil habitantes e é uma comunidade rural. Pesquisei no Google, o lugar é lindo, praia (óbvio, é uma ilha), com um píer lindo, um pôr do sol lindo... enfim... Não existiam motivos pra eu negar essa família, já que tinha me apaixonado por eles, exceto por esse PEQUENO grande detalhe.

Com esse super feeling que tive pela família de WA, a família de Oakland já estava descartada. Na quinta feira, recebi um email da hosta (da CA) pedindo para que no final de semana eu conversasse com o hosto, pois ela havia gostado de mim. Ok né?! Não custava nada. Isso iria me ajudar a tirar a prova quanto à fam de Indianola, e assim marcamos Skype para o sábado.

Também durante a semana a família de WA pediu um novo Skype, eu tinha a certeza de que eles pediriam match nesse Skype... sei lá, acho que é coisa que acontece com o tal de feeling. Marcamos o skype para domingo à tarde. Great!


EIS QUE, na quarta feira daquela semana, 18, a TERCEIRA FAMÍLIA entrou no meu perfil. Acredito que todas as meninas, quando dão início ao processo de AP, sonham com a família ideal, certo? Pois é. O perfil desta 3ª família era EXATAMENTE o que eu sonhava desde que conheci o programa. Um casal muito jovem de médicos, 29 anos os dois, morando em Denver, capital do Colorado (sempre achei bacana morar no centro do país, pois seria muito mais barato viajar, pra qualquer lugar que fosse). A hosta está grávida do seu primeiro filho e eles tem três cachorrões lindos. (obs: desde criança falava pro meu pai assim: Um dia iremos esquiar em Aspen... e não é que Aspen fica à 40 minutos de Denver? É Deus, só pode.)

Minhas amigas e futuras APs, Juh e Carol, que acompanharam de perto esse processo todo, sabiam bem o quanto eu queria uma família assim. Ótimo, agora eu estava mais TRIvidida do que nunca. Marcamos nosso primeiro Skype para sexta-feira.

EU IA ENLOUQUECER! Tinha Skypes marcados para SEXTA, SÁBADO E DOMINGO! SOCORRO!!!!

Na sorte e na fé, eu fui...

Fiz Skype na sexta (20) com os hosts de Denver. Amei eles. O hosto falava muito rápido. Tive que pedir pra ele ir mais devagar diversas vezes... Acho que eles gostaram do meu perfil mais porque sou nutricionista, do que qualquer outra coisa. Eles também trabalhando na área da saúde, têm essas neuras de dieta equilibrada/saudável, higiene e segurança alimentar e microbiológica e cosias do gênero – sem falar que eu amo Nutrição Materno Infantil. O fato é que eu AMEI eles. Amei o lugar. Amei os cachorros. Amei meu quarto, com banheiro e com BANHEIRA. Amei tudo. Eles me questionaram se eu estava em contato com outras famílias e eu fui sincera. Disse que sim. Nisso eles me pediram para dar à eles a oportunidade de conversarmos mais uma vez antes de eu tomar qualquer decisão quanto ao match com as outras duas famílias. Eu disse que ok.

No sábado (21) tive o Skype com o hosto da Califa. Gente, deu medo. Ele me pareceu louco. Mas respondi todas as perguntas dele, com o meu inglês tosco que resolveu sumir de tão tensa que ele me deixou. Não durou mais do que 15 minutos, mas tudo bem. Havia passado esse também. Desliguei o Skype com a certeza de que eles sumiriam do meu APP. Foi horrível, foi estanho. Me senti intimidada por ele, não sabia responder as questões que ele me fez, não porque não soubesse lidar com determinada situação, mas porque o inglês sumiu. Como ele trabalha no 911, ele me fez perguntas do tipo: “O que você faria se o bebê engasgasse?” Eu sei o que eu faria, sou bombeira voluntária na minha cidade. Tenho treinamento de primeiros socorros, então eu realmente saberia o que fazer, mas quem disse que eu consigo dizer isso pra ele? #gameover  

No domingo (22), já chorando por antecipação, fiz o Skype com os hosts mais fofos do mundo. Logo de cara eles me disseram que gostaram muito de mim e fizeram aquela tão amada/sonhada/esperada pergunta: “Você gostaria de ser nossa AP?” Eu queria morrer naquela hora. Eu não sabia o que fazer! Puta que pariu! Eu não podia dizer pra eles, “olha... eu adoraria, mas vocês fazem filhos como coelhos e moram na roça”. Puta que pariu de novo! Não consegui pensar em mais nada. Disse à eles que talvez tivesse que adiar minha viagem por conta da formatura, e que na semana seguinte saberia se ia me formar ou não. Eu menti. Eu sei que isso é horrível. Mas eu não podia dizer que não logo de cara e fechar as portas pra mim caso o meu contato com a fam. de Denver não desse certo. Pedi desculpas e disse que só poderia responder na semana seguinte. Eles “engoliram”, disseram que tudo bem, mas que eu deveria avisá-los assim que eu tivesse a “resposta da faculdade” quanto à formatura pois eles não tinham interesse em nenhuma outra nenhuma AP, por enquanto.

Me senti a mosca do cocô do cavalo do bandido por ter feito isso. Mas enfim. Foi uma mentirinha necessária.

Na terça feira (24), recebi um email da família da Califa, também me pedindo MATCH. Esse eu não tive dó e nem piedade de negar. Disse que não. De forma muito educada é claro. Com a ajuda da minha ami do coração, Carol Marques, elaborei um email e mandei de volta pra ela, agradecendo a confiança e desejando sorte na busca por AP. E o que ela me respondeu? ... - Ok!    Sim, essa foi a resposta dela... Ok! Tive a certeza que não vou me arrepender de mandar essa família pastar (com toda a etiqueta, claro).

Well, estava feito. A fam da Califa já estava fora da lista de possibilidades. Estava apostando todas as minhas fichas na família de Denver. Analisando tudo o que eu gostaria de fazer enquanto estiver no USA, morar em Denver, com médicos, sem dúvidas é a melhor opção pra mim. Isso porque eu quero MUITO estudar coisas relacionadas a saúde, a nutrição especificamente, e ter hosts médicos faz tooooda diferença.

No mesmo dia que dei o fora na fam da Califa, mandei um email (com quintas intenções) pra família de Denver. Disse pra eles que as famílias haviam me pedido por match, mas que eu gostaria de conversar com eles mais uma ou duas vezes antes de decidir. A hosta foi uma fofa e me disse exatamente as duas coisas que eu queria ouvir dela. Primeiro: “Faça o que for melhor pra você!”... e segundo: “Podemos fazer um Skype na quarta?”. Gente, isso era tudo o que eu queria ouvir! Isso queria dizer que eu ainda estava no top do top ten dos hosts!

Na quarta, dia 25 de abril, as 21hs fizemos nosso segundo Skype. Mais uma vez com os dois hostos e os três cachorrões! #adoro! Devo confessar que eu entendi metade do que ela me disse naquele dia. Eles falam rápido demais! O mais importante eu entendi. Eles me propuseram MATCH, aí mesmo, ao VIVO, no Skype! Uhhuuuuuuuuuuuuuuuu

Pense num coração sambando no peito?! Era o meu! Fiquei tão, tão feliz que eu só pude responder: I would love!

Yes! Eu tinha meu MATCH. Como a hosta ainda está grávida, e o baby boy só nascerá em setembro, meu embarque ficou marcado para NOVEMBRO. Eu sei, ainda está bem distante. Eu que sonhava em viajar em agosto, irei embarcar em novembro. Mas quer saber? Vale a espera. Ainda tenho uma porção de coisas pra decidir aqui, então, novembro está ótimo!

OBS. Eu acredito MUITO nEle, em Deus. Eu tenho certeza de que isso foi obra dele. Um dia antes minha host family aparecer no meu APR eu tive uma crise de choro e de dúvidas ferrenha. Coloquei meu joelho no chão e pedi à Ele que, por favor, me desse algum tipo de resposta, um sinal do que eu deveria fazer. Na manhã seguinte, lá estava a família dos meus sonhos, do jeitinho que eu sempre pedi à Ele, num lugar onde eu sonhava viver desde criança. Foi Ele, não tenho dúvidas.


Denver | CO

Aspen | CO

Aspen | CO

Denver | CO

City Park | Denver | CO

Colorado


Estava feliz, mas parte de mim se sentia super bad por conta da mentirinha que eu contei pra fam de Seattle área. Eu tinha mentido. Já estava feito. O que eu teria que fazer agora é dar continuidade à essa senvergonhisse (oi?!) que eu fiz. No dia seguinte mandei um email pra ela dizendo que eu só poderia me formar em dezembro e embarcar em janeiro. Não podia voltar atrás. Pedi desculpas (querendo que ela perdoasse a mentira, que ela nem sabia que eu tinha contado) e perguntei se ela queria ajuda com a busca por APs, já que eu tinha algumas amigas pra indicar. Ela não respondeu. Ela sumiu. Que pena.

Arrependimentos à parte. Tenho meu match e estou bem feliz com ele. A hosta é uma fofa. Adicionei o hosto e a hosta no FB e me apaixonei ainda mais por eles. São super festeiros, divertidos... A gente continua se falando, agora mais através do chat do FB. Não fizemos mais contato por Skype, o que eu acho até bom pra mim... Vai que eles desistam do match por conta do meu ingreis tupiniquim?

FIM!

Essa é a história do meu match.

Esse post está maior que meu TCC... Aliás estou bem feliz porque minha formatura é daqui exatos 30 dias. Uhhu

No próximo post: Minha host family!

XOXO

25 de junho de 2012

E até ficar Online...


Hello Everybody!

Pois bem, continuando a história do meu processo...

Desde o final do ano passado deixei minha chefe avisada: Esse ano, eu vou embora! Ela sabia que fazer este intercâmbio era um grande sonho pra mim, então concordou em me liberar do trabalho quando precisasse ir até a cidade onde fica a minha agência. Uma fofa, eu sei!

No dia 16 de fevereiro, depois das férias da minha futura atual agente, marquei minha visita na STB. Como eu já estava pesquisando sobre o programa há mais de 4 anos, não tinha absolutamente nenhuma dúvida. Acho até que a agente ficou um pouco “ressabiada” com isso... Mas enfim, sorte dela né? Tirei apenas algumas dúvidas específicas da APC, como por exemplo, sobre o seguro saúde que a agência fornece...
No mesmo dia fiz os testes de inglês e um tal de teste psicométrico, que nada mais é do que um teste de personalidade.

E COMO SÃO OS TESTES?

INGLÊS: Longo. Muito longo. Na verdade é um bate papo com a agente. Ela vai guiando a conversa de acordo com um polígrafo de questões - são 6 páginas, na verdade. Ela questiona sobre a sua vida, sobre sua experiência com crianças, questiona o porquê você decidiu ser AP, como você imagina que será a sua vida no exterior, o que você gosta de fazer...

Obs: É bom você lembrar essas respostas, pois irá respondê-las diversas vezes até ter o seu match. São perguntas bem básicas que você irá preencher no APP, que a agência de SP irá te fazer por telefone, que a agência de San Francisco também irá lhe questionar – só se você for Infant Specialized, e que as próprias hosts families irão lhe fazer durante o processo de match.

PSICOMÉTRICO: Esse teste é bemmm extenso, são aproximadamente 180 questões - todas em inglês, onde você escolhe uma das alternativas: nunca, raramente, às vezes, freqüentemente e sempre. Cada tipo de resposta vale determinados pontos. Eu não sei como é a contagem, mas imagino que quanto MENOR for seu escore, melhor pra você!

São perguntas bem bobinhas e algumas meninas simplesmente ignoram, achando que não tem importância. Errado! Tem tanta importância que você pode reprovar nele.
E como são as perguntas? Exemplo: Se você for contrariado por alguém, você fica com raiva... – Você SE INCOMODA em receber advertências... – Você é feliz... – Você gosta de ser liderado por alguém... – Você gosta de liderar... e aí escolhe uma das alternativas que descrevi acima. Gente, tomem cuidado porque as perguntas são bem pega ratão mesmo!

ATENÇÃO! Meninas que forem pela APC, não levem “nas coxas” esse teste pois ele pode te REPROVAR!  Se você reprovar, não tem choro. Você não recebe o APP e eles vão lhe dizer que você não está apta para ser AP. No grupo do FB já vi meninas que não foram aprovadas neste teste e tiveram que procurar outra agência.

Voltando ao meu processo...

Fiz os testes e paguei o programa naquele dia. Estava em promoção então paguei apenas U$ 590.00. #acarenpiradefelicidade
Também assinei o contrato com a APC e recebi os formulários para preencher (referência pessoal (1), referência com kids (mínimo 2) e histórico médico).

Dois dias depois recebi por email o acesso ao AuPairRoom para preencher o APP.
Preenchi todos os campos do APP, fiz a letter, o vídeo (essa foi a pior parte), levei todos os meus documentos na agência para conferência e no dia 26 de março dei o submit no APP. 

Detalhe: Eu demorei mais de um mês para preencher pois eu AINDA NÃO TINHA PASSAPORTE! Sim, que amadora! Eu não tinha passaporte...   Em janeiro eu entrei no site da PF para agendar o meu, mas só tinha data para março. Então, fica a dica! Decidiu ser Au Pair? Faça o passaporte!

Depois do submit, o APP ficou aproximadamente uma semana com o status Review by local agency. Com esse status eu recebi uma ligação da STB de São Paulo para fazer outro teste de inglês. Basicamente com as mesmas perguntas que eu respondi no teste da minha agência local. Foi tranqüilo.

Após esta entrevista o APP passa para o status Review by AuPairCare. Dois dias após a mudança de status, recebi um email da Rebecca. A Rebecca trabalha na APC em San Francisco e faz este contato apenas com as meninas que tem experiência under two. Marcamos de conversar por skype no dia seguinte. O skype não funcionou e a conversa foi por telefone mesmo. Nessa entrevista eu fiquei super tensa. Não sei por que, mas acredito que tenha sido porque esta foi minha primeira conversa com um NATIVO em inglês. Sei lá, foi diferente.

A Rebecca faz perguntas sobre a sua experiência com under two. Apenas isso. E no final, se você concordar, seu perfil é classificado como Infant Specialized – que fica disponível apenas para famílias com babies.

Essa entrevista foi no dia 11 de abril, e no mesmo dia fiquei ONLINE! Esse momento é absurdamente emocionante! É um divisor de águas para as Au Pairs. É a partir deste momento que você fica disponível para as famílias e começa a saga do seu tão sonhado match.

PAUSA!
Eu não sei responder em qual fase do processo a STB/APC confere as suas referências – pessoal, médica e com as kids, porque nenhuma das minhas foi contatada sequer para confirmar meu nome. Great!

Eu achei todo este processo muito rápido e TRANQUILO. Eu estava tão preparada pra isso que não achei o bixo de 7 cabeças que todo mundo fala. Minha letter estava pronta antes mesmo de eu ter a senha do APR, então acho que isso facilitou bastante.

Basicamente:
Entrada na agência – 16/02/2012
Submit do APP – 26/03/2012, lembrando que a demora foi porque eu ainda não tinha passaporte. Fiz ele no dia 09/03 e ficou pronto dia 15/03. O resto da demora foi por conta do vídeo, que foi outro parto.
Obs. Quem dava o submit no APP antes do dia 30 de março, ganhava o tour em NY! So, I got it! Uhhu!
Entevista com STB/SP – 07/04/2012
Entrevista com APC/San Francisco – 11/04/2012
Online – 11/04/2012 | Yes!!!

Agora pensa na felicidade da guria... No mesmo dia, duas famílias entraram no meu perfil! Mas esse é outro post!

Ficou bem confuso né? Mas enfim, queria contar como foi meu processo até ficar online. Talvez ajude algumas meninas a entender o que acontece depois que se recebe o APP. O próximo post vai ser sobre meu processo de match e as conversas com as famílias!

Então, era isso...

Espero que esse post ajude alguém, de alguma forma...

Beijo, me liga.



22 de junho de 2012

2º Primeiro Post - A saga da agência


Agora sim! Esse deveria ter sido o primeiro post!

Senta que lá vem a história (alguém se lembra disso? Tô velha!). Vou tentar resumir como foi meu processo de Au Pair até aqui... ou até eu me inscrever na agência!

Well, lá em 2008 (SIM! 2008, você não leu errado)... lá em 2008, estava  vivendo uma fase de muito comodismo. Minha vida estava atolada na rotina, morava com meu EX-noivo, EX-sogra, EX-cunhado e EX-cachorro (muita ênfase no EX!); estava num trabalho bacana (ainda estou) mas sentia que precisava fazer alguma coisa relativamente GRANDE da minha vida. Estava decidido, eu ia pro exterior, simplesmente pra VIVER!

Ótimo. Decisão tomada. Mas nada é simples ou fácil na minha vida... Decidir que eu iria viajar foi a coisa mais fácil que eu fiz até aqui. Ainda tinha que descobrir para ONDE, QUANDO, COMO, FAZER O QUÊ, e o principal, COM QUE DINHEIRO!

Sou uma pessoa muito decidida. Nem sabia como eu iria viajar, e mesmo assim comecei a reforçar meu English – On my own, of course. Todos os dias, traduzia letra de música, lia e marcava o dicionário, via séries....Enfim, achei maneiras – de graça – de dar aquela melhorada no idioma.

Assim como sou decidida, sou uma pessoa de sorte – ok, sou abençoada por Deus. Um dia, no trabalho, vi um anúncio na Zero Hora sobre uma palestra da agência CI sobre intercâmbio. Esse intercâmbio era o Au Pair. Eu nemmm imaginava que isto existia. Fui pesquisar o que era, pra onde, e principalmente o preço!
Entrei no site da CI, li todas as informações que havia no site e estava decidido. Sim! Eu seria Au Pair! Comecei a fazer pesquisas online sobre o programa e foi como se um universo paralelo tivesse se aberto pra mim. Gente! Como eu não descobri isso antes? Existiam trocentos blogs, sites, vlogs e outros mais de Au Pairs no mundo todo!

Em 2009, já solteira, morando com meu pai e minha madrasta, comecei a procurar por agências próximas à minha cidade. Onde eu moro - Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, não havia nenhuma agência de intercâmbio (agora tem). Porém em uma cidade vizinha, Caxias do Sul, existia representante da APC (STB, CI, WS, Egali..), APIA (Experimento), Go Au Pair e CC.

A essa altura eu fazia parte do grupo de AP no finado Orkut® e havia decidido ir pela CC. Liguei para a agente da CC em Caxias do Sul e DETESTEI. Semanas depois de eu ter desistido deles, a agência fechou (foi Deus, só pode!). NEXT! Decidi conhecer a Experimento - APIA. Entrei em contato com o representante local, nos adicionamos no MSN® e começamos a falar sobre o programa. Eu realmente havia gostado da agência, mas não gostei do preço. A Experimento custaria mais que o dobro das outras agências.

PAUSA!

Durante todo este processo, eu fui estudando inglês e também para o ENEM. Fiz a prova e adivinhem? Adivinhem? Eu ganhei a única bolsa do PROUNI para o meu curso – Nutrição - que a minha faculdade oferecia! Era apenas uma bolsa para aproximadamente 80 candidatos inscritos. Um GRANDE sonho estava se realizando (entenderam porque eu disse que sou muito sortuda, e abençoada, claro?!).

Estava com 21 anos e a faculdade trancada porque eu não tinha Dilma$ para pagar e também porque eu havia decidido que iria viajar e estava juntando a grana. Eu não podia deixar essa oportunidade ÚNICA passar. Não podia perder a chance de terminar a minha faculdade e de GRAÇA. Reabri minha matrícula já pensando na formatura e no dia do meu embarque.
A formatura, planejada para dezembro de 2011 foi adiada para o julho de 2012 (é mês que vem minha gente!). Fiquei de cara, claro. Queria viajar em janeiro de 2012. Mas para quem já havia esperado por 4 anos, mais alguns meses seria fixinha!  

Passou 2009, 2010 e em março de 2011, recomecei a minha busca pela agência. Sem representante da CC e com o preço da APIA, a última alternativa era a APC. Coincidência ou não, na mesma época eu conheci a fofa da Dani Costenaro no Facebook®. Ela morava em Caxias do Sul e já estava no USA pela STB/APC. Nos adicionamos no FB e ela foi me passando informações sobre a agência e eu realmente gostei do que ela me falou à respeito.




Entrei em contato com a STB e com a mesma agente da Dani, a Sílvia. Gostei muito dela, fomos conversando por telefone e e-mail durante um tempo, porém não fiz a inscrição porque a formatura havia sido adiada. Droga. O lado bom dessa história é eu já havia escolhido a minha agência.

FINALMENTE, em fevereiro de 2012, já com todos os requisitos necessários preenchidos – incluindo horas com kids, retirei meu APP na STB e dei início ao processo de AP. E o meu processo andou MUITO rápido. Mas isso, é assunto para o próximo post!

O que foi mais difícil durante estes 4 anos de espera e tentativas frustradas? Conviver com as pessoas duvidando que eu iria realizar o MEU sonho. As únicas três pessoas que jamais duvidaram de mim foram meu pai lindão, minha mãe e minha madrasta – e talvez a minha vó linda! (isso também rende um post...)

OBS. Devia ter começado esse blog antes. Tem tanta coisa pra contar que tenho medo de esquecer alguma coisa...

Espero ter disposição para postar com muita frequencia aqui... Esse é um projeto que eu realmente, não quero abandonar.